Studio Ghibli: rankeamos todos os filmes do pior ao melhor!

Compartilhar:

Studio Ghibli recebeu Palma de Ouro honorária no Festival de Cannes 2024

Autor Matheus Rocha
Matheus Rocha

22/05/2024, 11:02

Animação com menino de óculos e camiseta listrada na frente sorridente e uma menina com laço grande vermelho na cabeça com expressão fria.Foto: Studio Ghibli/ Toei Company/Reprodução

Na última segunda-feira (20), durante o Festival de Cannes 2024, o Studio Ghibli foi condecorado com uma Palma de Ouro honorária. Gorō Miyazaki, filho do cofundador Hayao Miyazaki, esteve presente na solenidade.

“Gostaria de agradecer a todos os fãs no mundo inteiro”, agradeceu Gorō em seu discurso. “O dia de hoje deu ao estúdio Ghibli ânimo para os próximos 40 anos”, acrescentou ele.

Pensando nisso, decidimos rankear os filmes já lançados pelo estúdio ao longo dos anos: do melhor ao pior (em nossa opinião). Fundado por Hayao Miyazaki e Isao Takahata, os primeiros longas-metragens foram lançados a partir de meados dos anos 1980.

Vale lembrar que o Studio Ghibli também possui curtas-metragens, coproduções, filmes considerados pré-Ghibli, documentários, comerciais de TV e muito mais. Sendo assim, aproveite logo abaixo!

Dois homens de terno em um tapete vermelho segurando um prêmio com duas mãos acenando.
Foto: Vianney Le Caer/Invision/AP/Reprodução

24. Contos de Terramar (2006)

Baseado no livro de Ursula K. Le Guin, inicialmente, Hayao Miyazaki faria a direção do filme, mas acabou deixando o projeto nas mãos de seu filho. O resultado não foi dos melhores e, desse modo, Contos de Terramar é o filme mais irregular do Studio Ghibli.

23. Aya e a Bruxa (2020)

Com a mesma direção de Gorō Miyazaki, o primeiro longa-metragem em 3D do Studio Ghibli foi lançado. Não é dos melhores, além de se descaracterizar de toda a produção anterior.

22. Da Colina Kokuriko (2011)

Gorō Miyazaki também é o diretor responsável pelo terceiro pior filme do Studio Ghibli em nossa opinião. Mas esse aqui não é de todo ruim. Tem seus pontos positivos, embora seja totalmente sem ritmo.

21. Meus Vizinhos, os Yamadas (1999)

Saindo um pouco dos filmes comandados pelo filho de Hayao Miyazaki, temos um estilo de animação diferente neste filme. Com direção de Isao Takahata, em uma escala de comparação com outras produções, a saga da família Yamada fica bem abaixo.

20. Porco Rosso (1992)

A história de Porco Rosso tem suas qualidades, mas, assim como o filme anterior, em uma escala de comparação, há obras muito mais relevantes, inclusive na filmografia do próprio Hayao Miyazaki. O protagonista e a coadjuvante são incrivelmente carismáticos.

19. O Reino dos Gatos (2002)

Sabe aqueles filmes que se passassem todos os dias na Sessão da Tarde a gente pararia para assistir? Talvez o Reino dos Gatos seja um desses. Mas, no geral, não é um filme impecável e cheio de qualidades — muito pelo contrário.

18. Ocean Waves (1993)

Lançado diretamente na televisão japonesa, Ocean Waves é um típico coming-of-age, nascido de uma iniciativa do Studio Ghibli de dar oportunidades a seus funcionários mais jovens. É um filme interessante, mas nem de longe tem o mesmo peso de outras produções.

17. Vidas ao Vento (2013)

Quando Miyazaki decidiu se aposentar pela terceira (ou seria quarta vez?), uma cinebiografia em animação foi lançada, apresentando ao público a figura controversa de Jiro Horikoshi. Foi indicado ao Oscar de Melhor Animação, mas nem de longe se tornou favorito para vencer naquele ano. 

16. Pom Poko (1994)

A filmografia dentro do Studio Ghibli de Isao Takahata é bastante curiosa — em contraponto à de Hayao Miyazaki, que é quase sempre muito fantasiosa. Em Pom Poko, temos um pouco mais de fantasia por parte de Takahata, que vinha de trabalhos extremamente densos e dramáticos. É um filme divertido e que dialoga com muitas questões do imaginário popular folclórico japonês

15. Ponyo (2008)

E divertido é um adjetivo que também podemos aplicar a Ponyo, um dos filmes de Miyazaki mais esnobados pelos fãs. Embora seja delicado, profundo e tenha elementos mais infantis, o longa-metragem traz inúmeras questões inventivas e cativantes para as telas.

14. O Conto da Princesa Kaguya (2013)

Quase chegando ao Top 10, é preciso falar de O Conto da Princesa Kaguya. Utilizando talvez o mesmo estilo de animação de Meus Vizinhos, os Yamadas (1999), o longa-metragem aposta em uma narrativa contemporânea e de fluxo para conquistar o público.

13. Sussurros do Coração (1995)

Podemos dizer que esse aqui é um dos filmes mais fofos do Studio Ghibli? Com uma linda paixão pela música (e por gatos), Sussurros do Coração nos apresenta uma história que, como diria Isabela Boscov, “cria ali para você um lugar tão aconchegante, tão reconfortante, tão capaz de reconstruir a sua fé na humanidade […] que não tem preço”.

12. Castelo no Céu (1986)

O segundo longa-metragem oficial do Studio Ghibli traz, obviamente, muita fantasia ao público. No filme dirigido por Hayao Miyazaki, há uma verdadeira viagem pelos ares, com mocinhos e vilões bem definidos e uma aventura sem fim.

11. O Mundo dos Pequeninos (2010)

Ok. Junto de Sussurros do Coração, O Mundo dos Pequeninos também disputa o lugar de filme mais fofo do Studio Ghibli. Adaptando a história da Pequena Polegar, a produção aposta em detalhes — que são um verdadeiro deslumbre para os olhos — para nos aproximar cada vez mais da protagonista pequenina.

10. O Menino e a Garça (2024)

Menino frente a frente com uma imagem humana saindo do fogo.
Foto: Studio Ghibli/ Toei Company/Reprodução

Chegando ao Top 10, não poderíamos não ser emocionados. O Menino e a Garça é o último filme lançado por Hayao Miyazaki e também o último filme (até o momento, esperamos) do Studio Ghibli. Há muitas nuances que lembram outros trabalhos, como o próprio Castelo no Céu. É um filme que faz o público chorar copiosamente quando os créditos sobem. 

9. Memórias de Marnie (2015)

Em meados da década passada, houve a notícia de que o Studio Ghibli encerraria suas atividades. Felizmente isso não aconteceu, mas Memórias de Marnie se tornou marcante também por conta desse pano de fundo. Não há como não se emocionar com a cena final — afinal, tratava-se de uma despedida naquele momento.

8. Nausicaa do Vale do Vento (1984)

Oficialmente, o primeiro filme do Studio Ghibli já chegou mostrando como tudo seria praticamente impecável dali para frente. O discurso ambientalista, os aviões e o prazer do voo, além de muitas outras questões que marcaram a filmografia de Hayao Miyazaki já estão postos ali.

7. O Castelo Animado (2004)

Baseado no livro de mesmo nome da escritora Diana Wynne Jones, esse aqui é um dos filmes que entraram no imaginário popular sobre o Studio Ghibli. Há elementos visuais muito marcantes, como Calcifer, o Cabeça de Nabo, o castelo e a própria Sophie. 

6. Memórias de Ontem (1991)

Muita gente não viu Memórias de Ontem, mas é um dos filmes mais delicados e profundos da carreira de Isao Takahata. O roteiro acompanha a saga de uma jovem que recorda-se de sua própria infância a fim de exorcizar alguns fantasmas que ficaram em sua mente.

5. Meu Amigo Totoro (1988)

Chegamos ao Top 5. Então, se você tiver que escolher apenas cinco filmes do Studio Ghibli para assistir antes do mundo acabar, comece por esses! Em Meu Amigo Totoro, o público conhece o personagem mais emblemático e símbolo do estúdio.

4. Túmulo dos Vagalumes (1988)

A guerra trouxe consequências incalculáveis ao mundo, principalmente para civis. Nesta, que é a obra-prima de Isao Takahata, os espectadores acompanham a saga de dois irmãos que lutam para sobreviver em meio aos horrores da guerra. Apesar dos pesares, os vagalumes surgem como uma metáfora.

3. A Viagem de Chihiro (2001)

No primeiro filme do Studio Ghibli a vencer o Oscar de Melhor Animação, os espectadores são apresentados a um mundo de fantasia recheados de elementos do folclore japonês. Tudo isso também funciona como um pano de fundo para discutir o trabalho escravo e infantil. 

2. Princesa Mononoke (1997)

Assim como A Viagem de Chihiro, Princesa Mononoke também quer falar de elementos folclóricos japoneses. Porém, o intuito neste caso é discutir as problemáticas e influências da ação humana na destruição da natureza. É um longa-metragem de encher os olhos.

1. O Serviço de Entregas da Kiki (1989)

E para fechar o ranking, é preciso falar do filme mais delicado, profundo e fantasioso do estúdio. Em O Serviço de Entregas da Kiki estão todos os elementos que fizeram o cinema do Ghibli ser reconhecido pelo mundo todo. Se eu fosse você, não deixaria de assistir!

Aproveite para fazer uma Maratona Studio Ghibli o quanto antes. Boa parte dos filmes estão disponíveis em streaming no catálogo da Netflix. E se você gostou do conteúdo, continue acompanhando tudo o que apresentamos aqui no GeekShip!