Metalinguagem: conheça 7 filmes sobre filmes para ver no streaming

Compartilhar:

Filmes sobre filmes também podem ser muito interessantes; veja nossa lista e onde assistir cada produção!

Autor Matheus Rocha
Matheus Rocha

09/07/2024, 17:02

Personagem de Cantando na Chuva, filme que utiliza a Metalinguagem, na chuva, com chapéu, guarda-chuva e apoiado em um poste de luz.Foto: Metro-Goldwyn-Mayer (MGM) /Reprodução

Os bastidores de um filme também podem se tornar um tema interessante para o desenvolvimento de vários outros longas-metragens. Na história do cinema, inclusive, há muitas abordagens instigantes, curiosas e repletas de informações para os amantes da sétima arte por meio da metalinguagem.

Nesse cenário, podemos dizer que existem filmes maravilhosos que englobam o universo cinematográfico e que merecem toda a nossa atenção. Portanto, se você gosta dos famigerados “filmes sobre filmes” ou daqueles filmes que, de alguma maneira, fazem uma homenagem ao cinema, essa lista é para você. 

Então logo abaixo, conheça sete ótimos filmes sobre filmes, que utilizam a metalinguagem e falam de si mesmos. Aproveite!

7. Oito e Meio (1963)

Vamos começar com um clássico de Federico Fellini. Nesta espécie de autobiografia do realizador, Marcello Mastroianni vive Guido Anselmi, um cineasta em crise de criatividade e busca de várias formas ter alguma inspiração. A partir disso, os espectadores embarcam em uma verdadeira viagem metalinguística, repleta de momentos de divagação e fantasia.

O título faz alusão à carreira de Federico Fellini. Quando Oito e Meio foi lançado em 1963, o cineasta já havia dirigido oito longas-metragens sozinho e codirigido mais um outro. 

  • Assista ao filme no Globoplay.

6. A Noite Americana (1973)

Na sequência, mais um clássico, lançado dez anos depois de Oito e Meio, com direção de François Truffaut — diga-se de passagem, um dos cineastas franceses mais importantes da história do cinema. O longa-metragem foca nas turbulentas e divertidas filmagens de um outro longa-metragem. 

De forma curiosa, o próprio Truffaut interpreta o diretor do filme que está sendo filmado diante das câmeras. A produção mostra como todos os envolvidos tentam fazer o roteiro ganhar vida, apesar de todos os pesares. 

  • Infelizmente, o filme não está disponível em streaming.

5. Ed Wood (1994)

Você já assistiu algum filme do pior cineasta de todos os tempos? Por muitos anos, Ed Wood recebeu essa alcunha, sendo ridicularizado por diversas pessoas influentes na indústria cinematográfica. No entanto, o cineasta em questão só queria produzir filmes pelo prazer de produzir seus filmes, não se importando tanto assim com a opinião dos outros.

O grande fã de Bela Lugosi, capaz de dar confiança ao talentoso ator que há tempos não participava de nenhuma produção, ganhou uma cinebiografia para chamar de sua pelas mãos de Tim Burton. O resultado é bastante especial.

  • Assista ao filme no Disney+.

4. Adaptação (2002)

Neste filme inusitado, o público acompanha a saga do próprio roteirista Charlie Kaufman (vivido aqui por Nicolas Cage) desenvolvendo o roteiro de um livro de não-ficção — The Orchid Thief, de Susan Orlean —, durante as filmagens de Quero Ser John Malkovich, em 1998, ao lado de seu irmão gêmeo ficcional Donald. 

O problema é que Kaufman encontra bastante dificuldade ao adaptar o livro para o cinema, fomentando uma verdadeira viagem com diversos questionamentos sobre a arte da escrita. Curiosamente, em uma das cenas mais famosas do longa, Kaufman assiste uma palestra de Robert McKee, renomado professor de roteiro também na vida real, onde seus recursos narrativos são julgados de forma brilhante.

  • Alugue o filme na Apple TV.

3. Saneamento Básico (2002)

O que fazer quando a prefeitura da cidade oferece até dez mil reais para fomentar a produção de um filme, que pode ser devolvido caso os recursos não sejam utilizados, mas não consegue resolver os inúmeros problemas de esgoto e saneamento da região? 

Por esse motivo, dispostos a chamar a atenção das autoridades, Marina (Fernanda Torres), Joaquim (Wagner Moura), Silene (Camila Pitanga), Fabrício (Bruno Garcia), Zico (Lázaro Ramos), entre outros personagens, se reúnem para elaborar o projeto de um filme barato, que conta a história de um monstro que vive nas obras de construção de uma fossa.

  • Assista ao filme no Globoplay.

2. Babilônia (2023)

Hollywood sempre teve seus altos e baixos. Em Babilônia, do mesmo diretor de La La Land (2016) e Whiplash (2014), viajamos aos tempos de transição do chamado cinema mudo para o cinema de som sincronizado, época em que diversos astros e estrelas passaram por grande crise artística.

Isso aconteceu justamente por conta dos modos de produção, que traziam microfonistas para o set de filmagens e exigiam que as vozes do elenco fossem impactantes — assim como suas respectivas aparências. Nessa jornada, conheça a ascensão e queda de Nellie LaRoy (Margot Robbie), além de Jack Conrad (Brad Pitt), entrelaçada à história do imigrante Manny (Diego Calva).

  • Assista ao filme no Paramount+ ou Globoplay.

1. Cantando na Chuva (1952)

E para fechar a lista, que tal falar de mais um clássico? Cantando na Chuva é um musical inesquecível, que também remonta à época de transição do cinema mudo para o cinema de som sincronizado. Na trama, Gene Kelly interpreta uma grande estrela dos filmes silenciosos conhecido como Don Lockwood.

Aos poucos, os espectadores acompanham os bastidores de diversas produções que tentam dar um jeito no dilema que muitos artistas enfrentaram nessa época relacionados à sua voz, como Lina Lamont (Jean Hagen), que tinha muitas dificuldades de dicção. A solução foi fazer Lina ser dublada por Kathy Selden (Debbie Reynolds), um dos interesses amorosos de Don.

  • Assista ao filme no Max.

Gostou do conteúdo? Então continue acompanhando tudo o que apresentamos aqui no GeekShip!